BEATLES A VENDA.

THE BEATLES – SOM TRÊS – 5º VOLUME.

011 001

Como disse anteriormente quando iniciei essas postagens no Blog, encontrei quatro volumes da revista SOM 3 que é um pouco mais de conhecimento sobre os Fab Four, hoje em dia há muitos meios de sabermos tudo sobre nossos amados Beatles, também sei que nem tudo que se fala é o que realmente aconteceu, mas para se saber o que realmente aconteceu só falando com os próprios não é mesmo, com certeza sempre haverá alguém interessado, pois tem muita gente como eu que mesmo tendo a internet que pode nos fornecer informações, gostamos de ler e saber tudo sobre Beatles, mesmo quando é reprise, digo isso porque já fui muito criticada por repetir postagens de vídeos e informações sobre os Beatles, então agora posto em alguns grupos apenas poucas informações, me dedico mais ao meu grupo e página do Facebook e agora ao Blog que estou adorando, onde não me criticam e só me fazem bem e sei que gostam do que faço porque muitos me falam coisas maravilhosas, muito obrigada, espero que curtam mais esses conhecimentos que estou compartilhando agora.

A revista fala de alguns discos e das músicas quem tocou, quem foi o vocalista e tudo mais, detalhes de cada música, por isso será postado junto o vídeo da música a que se refere o comentário e os detalhes ok, e um pouco sobre os Beatles, postarei em partes e depois de postado tudo será compartilhado com meu grupo e página no Facebook, o 1º Volume se referia ao Álbum Branco, o 2º Volume sobre Magical Mystery Tour, o 3º Volume sobre SGT. PEPPER’S LONELY HEARTS CLUB BAND, infelizmente não estou com o 4º Volume porque presenteei alguém que como eu ama muitos aos Fab Four isso a alguns anos, então darei inicio ao 5º Volume que é sobre BEATLES FOR SALE, primeiramente falarei sobre BEATLES FOR SALE e em seguida sobre HELP!.

As fotos são da capa, do pôster e outras que se encontram dentro da revista.

UMA AVENTURA INESQUECÍVEL.

010

Beatles 65 traz oito canções novas de Paul e John, feitas especialmente para essa edição. As outras faixas são uma coletânea de sucessos que eles apresentavam em seus shows. A gravadora queria lançar três das canções novas (“Eight Days a Week”, “No Replay” e I’m a Loser”) em compacto, mas os quatro não gostavam de extrair compactos de seus LPs e, assim, lançaram, pouco antes do álbum, “I Feel Fine” e “She’s a Woman”.

Trata-se de um trabalho cansado, pois eles estavam chegando da grande turnê norte-americana durante a qual viajaram 35.906 quilômetros, voaram sessenta horas, visitaram 24 cidades e fizeram 31 apresentações em 32 dias. Haja anfetamina! O cansaço dos rapazes transparece não só em suas expressões na capa (estão todos certíssimos), mas nos vocais em algumas faixas, como em “Every Little Thing” e “I Don’t Want to Spoil the Party”. Mas, como eles tinham lançado um LP no Natal de 63, resolveram repetir a dose em 64 e fizeram Beatles For Sale a duras penas.

O hábito do LP natalino (importado por Roberto Carlos e muitos outros) seria mantido por eles até 1969. Mas o cansaço não prejudica o todo do álbum. Há clássicos dos primeiros tempos dos Beatles, tais como a forte versão de “Rock and Roll Music”, de Chuck Berry, na qual John da tudo de si e de sua garganta. Ele repete a dose em “Mr. Moonlight”, de Roy Lee Johnson, e Paul traz uma balada gostosa: “I’ll Follow the Sun”, cuja suavidade contrasta com a emoção apaixonada das interpretações de John, Ringo e George ganham uma faixa cada um, atuando apenas como intérpretes (só mais tarde George seria admitido como compositor): “Honey Don’t” e “Everybody’s Trying to Be My Baby”, respectivamente.

A edição norte-americana tem o Lado 1 idêntico ao da inglesa, com exceção da última faixa, que não foi incluída. O Lado 2 traz: “Honey Don’t”, “I’ll Be Back”, “She’s a Woman”, “I Feel Fine” e “Everybody’s Trying to Be My Baby”.

BEATLES FOR SALE.

012

Inglaterra: 04/12/64; Estados Unidos: 15/12/64 (+); Brasil: 6/75.

Lado 1:

1 – “No Reply”

2 – “I’m a Loser”

3 – “Baby’s in Black”

4 – “Rock and Roll Music”

5 – “I’ll Follow the Sun”

6 – “Mr. Moonlight”

7 – “Kansas City/Hey Hey Hey Hey”

Lado 2:

1 – “Eight Days a Week”

2 – “Words of Love”

3 – “Honey Don’t”

4 – “Every Little Things”

5 – “I Don’t Want to Spoil the Party”

6 – “What You’re Doing”

7 – “Everybody’s Trying to Be My Baby”

(+) Nos Estados Unidos e no Brasil, o álbum saiu com o titulo Beatles 65. Só ficou de fora, nesta edição, a faixa “Baby’s in Black”. As outras de Beatles for Sale estão todas lá, só que na seguinte ordem: Lado 1 – “Rock and Roll Music”, “Kansas City”, “I’m a Loser”, “No Reply”, “Mr. Moonlight” e  “I’ll Follow the Sun”; Lado 2 – “Eight Days a Week”, “Honey Don’t”, “What You’re Doing”, “Everybody’s Trying to Be My Baby”, “I Don’t Want to Spoil the Party” e “Words of Love”.

007

“NO REPLAY”

(Lennon-McCartney)

John Lennon: Violão e vocais principais.

Paul McCartney: Baixo e vocalização.

George Harrison: Guitarra solo e vocalização.

Ringo Starr: Bateria.

George Martin: Piano.

Essa faixa abre o LP com bastante força, pois a voz de John, em dois canais, entra direto cantando a letra, sem introdução alguma. Esse era um estilo típico de John e Paul, mas George Martin gostava de colocar corinhos e aberturas instrumentais. George e Paul entram no coro. A história não é muito criativa (o moço toca a campainha na casa da moça, telefona, ela não está ou manda dizer que saiu), mas foi copiada pelo biônico Ritchie dez anos depois. (E o pior, tem gente que gosta e compra disco!).

“I’M A LOSER”

(Lennon-McCartney)

John Lennon: Violão, vocais principais e vocalização.

Paul McCartney: Baixo e vocalização.

George Harrison: Guitarra solo.

Ringo Starr: Bateria e pandeiro.

Quando John fez essa letra, usou algumas frases típicas de Bob Dylan. Apesar de falar que é um perdedor porque saiu perdendo num caso com uma garota, já há um indício de que ele abandonaria as histórias de amor para fazer letras mais sérias, meio filosóficas. É ele quem faz os vocais principais, acompanhado por Paul nas vocalizações.

BABY’S IN BLACK.

(Lennon-McCartney)

John Lennon: Violão e vocais principais.

Paul McCartney: Baixo e vocais principais.

George Harrison: Guitarra solo

Ringo Starr: Bateria e pandeiro.

Os vocais principais são um dueto de Paul e John. A letra dessa música é bem desesperada, pois a moça está vestida de preto e pensando em outro. Há uma analogia entre a cor negra e a perda de um amor e esse tema reapareceria cerca de um ano depois num sucesso dos Rolling Stones, “Paint it Black”. Também a canção “Black Is Black”, gravada inicialmente por um grupo chamado Los Bravos, faria muito sucesso, na mesma época, com o mesmo tema. Foi até traduzida para o francês e gravada por Johnny Hollyday com o nome de “Le Noir C’est Noir”. Mais uma vez, os Beatles chegaram anos primeiro.

ROCK AND ROLL MUSIC

(Chuck Berry)

John Lennon: Guitarra rítmica, piano e vocais solo.

Paul McCartney: Baixo e piano.

George Harrison: Violão

Ringo Starr: Bateira.

George Martin: Piano (com John e Paul)

A versão de John para o clássico de Chuck Berry é considerado melhor que a do próprio autor. Sem dúvida, é um delicioso rock’n’roll, forte e animadíssimo, ao qual a voz rouca de John dá um toque todo especial. George Martin, John e Paul estão todos juntos no mesmo piano e o resultado é uma bagunça alegre e contagiante, num andamento rapidíssimo, que é um convite a sacolejar no melhor estilo dos anos 50.

I’LL FOLLOW THE SUN.

(Lennon-McCartney)

John Lennon – Violão e vocalização

Paul McCartney – Violão e vocais principais.

George Harrison – Guitarra solo

Ringo Starr – Bongos.

Uma música romântica que fala do sol. O estilo de Paul vai se delineando; mais tarde, chegaria a “Mother Nature Son”, uma outra balada que faz referência a Natureza.

– Eu amo a Natureza – diz Paul – Quando eu era criança, costumávamos ir ao campo com a escola e eu adorava quando o professor falava sobre os diferentes tipos de pássaros.

Os vocais e o acompanhamento são suaves. A guitarra de George só mostra sua presença no trecho instrumental e a batida de Ringo é bastante sutil.

MR. MOONLIGHT

(Lennon-McCartney)

John Lennon – Violão e vocais principais.

Paul McCartney – Baixo, órgão Hammond e vocalização.

George Harrison – Guitarra solo e tambor africano (foto).

Ringo – Bongos (foto).

Em contraste com a faixa anterior, John abre essa canção com um grito desesperado de “Mr. Moonlight” (Sr. Raio de Lua). A interpretação dos Beatles dessa velha canção é bastante apaixonada. Surge aqui um órgão Hammond tocado de uma forma bastante peculiar e George mexe com um instrumento exótico: um velho tambor africano. Mais tarde ele optaria pelos instrumentos indianos.

KANSAS CITY / HEY HEY HEY HEY.

(Leiber-Stoller/Penniman)

John Lennon – Guitarra rítmica e backing vocal.

Paul McCartney – Baixo e vocais principais.

George Harrison – Guitarra solo e backing vocal

Ringo Starr – Bateria

George Martin – Piano

A idéia de juntar “Kansas City” com “Hey Hey Hey Hey” (sucesso de Little Richard) foi de Paul. Eles costumavam cantá-las sempre assim no show. A gravação foi feita exatamente igual às apresentações ao vivo: Paul nos vocais principais imitando a voz de Little Richard e John e George no corinho “hey hey hey hey”.

EIGHT DAYS A WEEK.

(Lennon-McCartney)

John Lennon – Guitarra ritmica,  violão e vocais principais.

Paul McCartney – Baixo e vocalização.

George Harrison – Guitarra solo

Ringo Starr – Bateria

O comecinho da música, com o som das guitarras aparecendo baixinho para ir aumentando aos poucos, foi mais uma inovação utilizada depois inúmeras vezes por dezenas de músicos. John canta em dois canais e também faz o corinho com Paul. Trata-se de uma das melhores canções do álbum. Muitos “beatle-intérpretes” pensaram que era dedicada a Brian Epstein, que vivia tão ocupado cuidando de vários grupos, que precisava de oito dias por semana (ou, “eight days a week”). Mas parece que a versão mais certa não é essa. Havia o projeto de um segundo filme, que se chamaria Eight Arms to Hold You (oito braços para abraçar você). E era esse o título original da canção, que acabou virando “Eight Days a Week”.

Quanto ao filme, virou Help!

WORDS OF LOVE.

(Lennon-McCartney)

John Lennon – Guitarra rítmica e vocais principais.

Paul McCartney – Baixo e vocais principais.

George Harrison – Guitrra solo.

Ringo Starr – Bateria e caixote.

As vocalizações de John e Paul nessa faixa são um dos melhores exemplos de como eles conseguiam harmonizar suas vozes. Trata-se da única canção de Buddy Holly que os Beatles gravaram. Buddy Holly era o músico norte-americano mais querido de Paul; tanto que o Beatle acabaria por comprar todos os direitos das canções de Buddy Holly. As palminhas que se ouvem no fundo são, na verdade, produzidas por Ringo “tocando” o caixote.

HONEY DON’T

(Carl Perkins)

John Lennon – Violão e pamdeiro.

Paul McCartney – Baixo

George Harrison – Guitarra solo.

Ringo Starr – Bateria e vocais solo.

Como se tornaria habitual, Ringo tem direito a cantar numa faixa. Dessa vez foi uma canção de Carlo Perkins, perfeita para sei estilo e limites vocais. Carl estava presente durante a gravação e, embora não tenha participado, mostrou-se bastante satisfeito como o resultado. Em 1982, ele participou da gravação de uma faixa do álbum Tug of War, de Paul McCartney , “Get It” ele  fez dueto com Paul.

EVERY LITTLE THING.

(Lennon-McCartney)

John Lennon – Violão e vocais principais.

Paul McCartney – Baixo, piano e vocais principais.

George Harrison – Guitarra solo.

Ringo Starr – Bateria e tímpano.

Foto.

Mais uma historinha de amor. Novamente John e Paul fundem suas vozes em perfeita harmonia. Ringo marca o tímpano e George cria, na guitarra, um clima country and western.

I DON’T WANT TO SPOIL THE PARTY.

(Lennon-McCartney)

John Lennon – Violão e vocais principais.

Paul McCartney – Baixo e vocais principais.

George Harrison – Guitarra solo.

Ringo Starr – Bateria e pandeiro.

Apesar de um leve sinal de cansaço, as vozes de John e Paul harmonizam-se com perfeição. John gostava muito dessa canção.

– Era uma canção muito pessoal minha.

WHAT YOU’RE DOING.

(Lennon-McCartney)

John Lennon – Violão e backing vocal

Paul McCartney – Baixo e vocais principais

George Harrison – Guitarra solo

Ringo Starr – Bateria

George Martin – Piano

Os Beatles fazem, uma pequena homenagem a Phil Spector, repetindo a introdução criada por ele para o arranjo de “Be My Baby” na gravação com The Ronettes. A bateria que aparece no começo e no fim da música lembra esse estilo.

EVERYBODY TRYING TO BE MY BABY

(Carl Perkins)

John Lennon – Violão e pandeiro

Paul McCartney – Baixo

George Harrison – Guitarra dolo e vocais solo

Ringo Starr – Bateria.

Também essa faixa agradou a Carl Perkins, que estava presente na gravação. É George quem faz os vocais, embora sua voz seja reproduzida com um pouco de eco. A batida country and western completa o estilo gostoso desse “roquinho do gostosão” (o título significa “todo mundo está querendo ser meu bem”).

 

 

 

Por Marina Sanches.

Fonte: Som Três.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.