NOTICIAS BEATLES – PAUL McCARTNEY

Qual o segredo dos êxitos dos Beatles? Paul McCartney conta.

O primeiro grande sucesso mundial dos Beatles foi lançado há mais de 50 anos. Quando escreveu “Love Me Do”, Paul tinha apenas 16 anos e, com John Lennon,George Harrison e Ringo Starr, viu a canção ganhar asas até aos primeiros lugares dos tops mundiais.

Mas “Love Me Do” não foi o único êxito da banda britânica. Na edição especial da revista Billboard, o Paul revela algumas das histórias por trás dos principais sucessos da banda.

“I Want To Hold Your Hand” (fevereiro de 1964)

No final de 1962, os Beatles começaram a dar os primeiros passos na conquista do Reino Unido, mas nos Estados Unidos da América a história era outra – os amantes do pop rock olharam para a banda de forma cética e estranhavamos penteados “à menina”. “Não queríamos ir para os E.U.A. sem ter uma canção no número um. Uma série de artistas britânicos foi para lá e voltou porque o público ficou um pouco desapontado. Eu disse: Não quero que seja assim. Se vamos, queremos ir em cima”, conta Paul à revista.

“Estávamos a atuar em Paris, tínhamos um compromisso no Teatro Olympia (…) e recebemos um telegrama que dizia: Parabéns, são número um nos tops dos Estados Unidos. Pulámos nas costas uns dos outros”, conta o músico.

 

“Love Me Do” (maio de 1964)

Com apenas dois acordes, “Love Me Do” chegou ao primeiro lugar a 30 de maio de 1964. “O nosso material inicial é mais simples do que as coisas que fizemos depois”, explica Paul McCartney. “A canção foi muito simples e enquadrava-se na categoria de canções de fãs. As nossas primeiras músicas tinham “me” ou “you””, explica o Beatle, acrescentando que diziam aos fãs sem vergonha “ama-me” ou “quero segurar a tua mão”.

“Help!” ( setembro de 1965)

Depois de dois anos de gravações, de digressões que pareciam não ter fim e com John Lennon infeliz devido ao casamento, Paul teve a missão de compor uma nova canção. “Transformei a casa do John para uma sessão de composição (…) E vi a oportunidade de adicionar um descant (melodia no segundo verso) e terminámos [a canção] rapidamente: Descemos e cantámos para a mulher do John naquela altura, a Cynthia, e para um jornalista”, revela o cantor.

 

Embora a tristeza tenha sido disfarçada com o ritmo alegre da música, Lennon disse que se sentia “gordo e deprimido e a gritar por ajuda”.  À Billboard, Paul explica ainda que John estava sempre à procura de ajuda. “Ele achava que as pessoas morriam quando ele estava por perto: o pai dele saiu de casa quando John fez três anos, o tio com quem viveu morreu três anos depois de a sua mãe morrer. Acho que toda a vida de John era um grito por ajuda”, revela.

 

“Hey Jude” (setembro de 1968)

“Estava no caminho para ir vê-lo [Julian], depois de John [Lennon] e de Cynthia se terem divorciado e, porque tinha uma boa amizade com Julian [filho de John Lennon], veio-me à cabeça: Hey, Jules, não fiques mal”, lembra Paul. “É uma canção de esperança”, acrescenta.

Mais tarde, o músico decidiu mudar “Jules” para “Jude”: “Tinha ouvido o nome num musical – Carousel, acho eu: ‘Jude está morta’, ou algo do género. Eu não tinha percebido que ‘Jude’ significa ‘judeu’ [em alemão] e isso causou algumas confusões e… um homem ficou bastante irritado comigo”. O homem ficou tão zangado que, depois de ver pintado numa janela “Hey Jude”, partiu o vidro com uma garrafa de sifão de soda.

Paul não desvenda para quem é que escreveu a canção o mistério permanece. Porém, John Lennon suspeitava que o tema era sobre a sua relação com Yoko Ono. Paul não confirma, apenas revela que as primeiras linhas são sobre Julian, filho de Lennon.

Fonte: Sapo – Via e-mail.

Por Marina Sanches – @sancmarina.

Uma ideia sobre “NOTICIAS BEATLES – PAUL McCARTNEY

  1. sertaneja

    Realmente não dá para saber para quem são as ultimas estrofes de Hey Jude. Sempre soubemos que era uma música feita para Julian. Primeira vez que ele disse que apenas as primeiras frases são para ele. Espero que Julian não tenha ficado decepcionado com isso. Eu pessoalmente penso, ( fãs podem pensar, só não podem garantir o que não sabem) que o restante da música é para ele mesmo. Ele se consolando. Lembrava do caso do homem que ficou aborrecido achando que ele estava discriminando os judeus. Mas Jude é home de homem também. Jude Law!

    Curtir

    Resposta

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.