Arquivo mensal: novembro 2018

“Why don’t we do it in the Road?” – “Por que não fazemos na estrada? Ninguém vai ficar olhando a gente?”

157d0-paul-mccartney1968Paul 6
Paul McCartney: Guitarra solo, baixo, piano, bacteria e vocais (solo)
Paul outra vez, numa faixa que foi bastante criticada pelos gritos que ele dá – mas Paul
assume, e diz que acha lindo o jeito de cantar gritando dos primeiros bluesingers norte-
americanos e procura recriá-los de vez em quando. Houve criticas também aos versos, pois
houve quem conseguisse achá-los obscenos na época do lançamento do álbum (“por que não
fazemos na estrada? Ninguém vai ficar olhando a gente?”) Em 1971, Paul regravou essa
música, com um estilo diferente e outro título: “Oh, Woman, Oh Why”.
41_312-paulPaul+McCartney+I+want+you

Por Marina Sanches – @sancmarina

“Sally G” – Paul McCartney

Escrita por Paul e Linda McCartney e interpretada por Paul  e Wings . Foi lançado como o lado B do single ” Junior’s Farm ” em outubro de 1974.

Paul McCartney london 1974

Paul compôs a canção durante a visita da banda a Nashville, Tennessee, depois de visitar um clube de música country em Printer’s Alley .

Como o lado A , foi gravado em Nashville em julho de 1974 durante a visita da banda.  Ao contrário do lado A, foi fortemente influenciado pela música country, incluindo o uso proeminente de músicos de apoio de Nashville, como Vassar Clements , Lloyd Green e Johnny Gimble, que apóiam Wings.

Nos EUA, “Sally G” traçou separadamente de ” Junior’s Farm ” na parada de singles da Billboard e na Billboard Hot 100, onde alcançou a 51ª e a 39ª posição, respectivamente (número 17, quando ainda listada como “Junior’s Farm”).  Ele teve uma exibição ainda mais forte na lista do Easy Listening , alcançando o número 7. Como muitos singles do Wings, a música não foi incluída em um álbum no momento do lançamento.

 

Por Marina Sanches – @sancmarina

Fonte: S.S.

NOTICIAS BEATLES – PAUL McCARTNEY

Será??

Paul McCartney fará quatro shows no Brasil em 2019, afirma colunista.

Paul deve voltar ao Brasil no primeiro semestre de 2019 com a turnê “Freshen Up”, de divulgação do seu álbum mais recente, “Egypt Station”.

A informação é do colunista Lauro Jardim, e foi publicada na edição do jornal O Globo deste domingo (11).

Segundo o jornalista, Paul fará quatro shows no Brasil durante o mês de março, sendo dois deles em São Paulo, no Allianz Parque. A outra cidade a receber o músico será Curitiba, pela primeira vez em 26 anos, mas não ficou claro se o local também receberá mais de um show.

Na mesma perna da turnê, o eterno baixista dos Beatles também passará por outros países da América do Sul, como Argentina e Chile.

A última vinda de Paul aconteceu em novembro de 2017, quando passou por quatro cidades brasileiras com a turnê ‘One On One’: Porto Alegre, São Paulo, Belo Horizonte e Salvador.

A turnê ‘Freshen Up’ teve início em setembro deste ano e já passou pelo Canadá e pelo Japão. Neste ano, ainda passará por diversos países da Europa e, no ano que vem, até o momento, há shows marcados nos Estados Unidos a partir do mês de maio.

A possível vinda de Paul McCartney ao Brasil ainda não foi confirmada oficialmente pelo músico.

Fonte: Pop Cultura – Via e-mail.

Por Marina Sanches – @sancmarina.

“SOMETHING” – “A melhor canção do álbum segundo John Lennon e a melhor de George segundo Paul McCartney”.

BhRYT9eCcAAcTFnBjJ21_CCAAEFxjDBgl5JG5CAAAxIA7Leilao Beatles Nova YorkAbbey Road 2Abbey Road 3George 22

A famosa balada de George, escrita para sua esposa na época, Pattie Boyd, é considerada por muitos como o ponto alto do primeiro lado do disco. Ela representou, para críticos, a maturidade de George como compositor, marcada por uma melodia belíssima e pelo famoso estilo de guitarra do “beatle místico” já desenvolvida em “While My Guitar Gently Weeps”. Foi escrita durante o White Álbum, e a primeira estrofe foi baseada na música “Something in the Way She Moves” de James Taylor, assinado pela Apple na época. Refinada durante as filmagens de Let It Be, (é possível ver Lennon dando umas dicas de composição para Harrison) a música foi oferecida para Joe Cocker, mas acabaram voltando atrás e gravando a canção. Primeira música de Harrison a ser lado A de um single, “Something” foi regravada por Frank Sinatra, que a considerava uma das grandes canções de amor da segunda metade do século XX, e que, ironicamente, atribua a autoria da canção à dupla Lennon/McCartney. É a melhor canção do álbum segundo John e a melhor de George segundo Paul. Paul McCartney canta essa música com Eric Clapton no Concert for George em 29 de novembro de 2002, 1 ano após sua morte. Michael Jackson, que nos anos 80 comprou os direitos das músicas Lennon/McCartney, confidenciou a Harrison que gostaria de ter a balada em seu catálogo.

 

Por Marina Sanches – @sancmarina.

Fonte: S.S.

“I’m Losing You” – John Lennon

Escrita por John Lennon e lançada em seu álbum de 1980, Double Fantasy. Foi concluído nas Bermudas em junho de 1980, depois que John falhou em uma tentativa de telefonar para Yoko Ono. A música também está disponível na coletânea 1982 The John Lennon Collection, no boxset de 1998 John Lennon Anthology, na compilação de um disco Wonsaponatime, na compilação de dois discos de 2005 Working Class Hero: The Definitive Lennon e em 2010 no álbum Gimme Some Truth. A música também foi destaque no musical Lennon de 2005.

John  completou “I’m Losing You” em meados de 1980, enquanto estava em Bermuda depois de tentar ligar para a esposa Yoko Ono, mas não conseguindo. Seu aborrecimento tornou-se um ponto de partida para um exame mais profundo do estado de seu casamento. As letras reconhecem que o relacionamento está em apuros, e John admite que ele machucou sua esposa, mas ele também se ressente do fato de que ela não vai deixá-lo viver seus erros. Ele também afirma que esses erros ocorreram há muito tempo.  De acordo com o historiador pop Robert Rodriguez, a sinceridade da exploração de John de seus sentimentos confere à música uma potência que lembra canções de John Lennon / Plastic Ono Band and Walls and Bridges. O crítico de música Johnny Rogan também vê semelhanças com canções escritas durante a separação de meados de 70 de Yoko Ono , quando muitas das músicas de Walls e Bridges foram escritas. John confirmou que embora a música tenha sido originalmente inspirada por seus sentimentos pelo telefonema, também expressa seus sentimentos sobre a perda de Yoko Ono durante sua separação de 18 meses (ou seja, seu final de semana perdido ) bem como outras perdas, incluindo a perda de sua mãe, que foi tema de várias músicas em John Lennon / Plastic Ono Band.

A linha de abertura da música tem o cantor perguntando por que ele foi para o quarto de um “estranho” para o conforto. É deixado ambíguo se o estranho é alguém que não seja seu amante, ou se o estranho é realmente seu amante, a quem ele se tornou tão alienado que ela parece ser uma estranha.  Em outra linha, “você ainda tem que carregar essa cruz?”, O cantor usa A Paixão como uma metáfora para a recusa de sua amante em perdoá-lo.

Outra linha da música é “aqui no vale da indecisão / não sei o que fazer”.  Esta é uma referência ao título do filme The Valley of Decision, de 1945. Pouco depois de escrever a música, John explicou ao filho Sean que ele estava freqüentemente indeciso como resultado da dor que sofreu quando teve que escolher com qual pai viver quando seus pais se separaram.

Autores Ken Bielen e Ben Urish dizem que o “grande” som de bateria e parte de guitarra ajudam a criar uma “atmosfera tensa”, e comparam o som de bateria a estilos de produção que se tornaram comuns no final da década.

Uma versão anterior da música foi intitulada “Stranger’s Room”. De acordo com o jornalista de rock Paul Du Noyer, “Stranger’s Room” foi escrito em 1978.

Por Marina Sanches – @sancmarina

Fonte: S.S.

NOTICIAS BEATLES – PAUL McCARTNEY

Paul McCartney caiu em depressão com o fim dos Beatles.

Em entrevista a uma estação de rádio da rede BBC,  Paul McCartney confessou ter mergulhado em uma depressão após a ruptura com a banda de Liverpool, em 1970, e ter começado a beber muito depois da separação. “Foi difícil saber o que fazer depois dos Beatles. ‘O que fazer agora?’ Estava deprimido. Estava rompendo com meus amigos da vida, portanto queria a garrafa.” Os Beatles se separaram oficialmente em 1970 após a publicação do álbum Let it Be.

“O negócio nos separou”, reconheceu Paul, que depois da ruptura resolveu “dar um tempo” na Escócia, onde começou a beber com frequência. Foi sua mulher, Linda, quem o ajudou ajudou a sair da depressão, ao formar com ela o grupo musical Wings, que ele admite não ter a genialidade dos Beatles. “Não foi um bom grupo. As pessoas diziam que Linda não podia tocar teclado e era verdade”, disse.

Por outro lado, Paul disse estar tranquilo por ter melhorado a sua relação com o amigo John Lennon antes do seu assassinato em Nova York, em dezembro de 1980. “Foi realmente grandioso que estivéssemos outra vez juntos antes de sua morte porque teria sido algo muito difícil com que lidar”, contou Paul.

Ele ainda admitiu que a competição entre ele e John, nos Beatles, deu origem a alguns dos seus melhores trabalhos musicais.”Quando se é jovem, ocorrem coisas mágicas, estar na banda, concorrer com John, ser um menino e de repente ser famoso… isso deu passo a um bom trabalho”, explicou.

O programa Mastertapes foi gravado em um estúdio da BBC no centro de Londres, onde os Beatles cantaram algumas canções para a rádio nos passados anos 1960. Na gravação, segundo a emissora, estiveram famosos como Brad Pitt e Noel Gallagher, assim como membros do público que fizeram perguntas a Paul McCartney.

Fonte: VEJA.

Por Marina Sanches – @sancmarina.