Arquivo mensal: fevereiro 2020

BEATLES DIA A DIA

01 de março de1998

Paul contribui com um vídeo de “Calico Skies” para o especial de TV “Christopher Reeve – A Celebration Of Hope” da rede americana ABC.

Fonte: The Beatles Diary

Por  Marina Sanches  – @sancmarina

 

BEATLES DIA A DIA

01 de março de 1964

 

 

No estúdio 2 de Abbey Road, das 10h às 13h30, os Beatles gravam “I’m Happy Just To Dance With You” (takes 1-4), “Long Tall Sally” (take 1) e “I Call Your Name” (takes 1-7).  

 

Fonte: The Beatles Diary.

Por Marina Sanches – @sancmarina

“Choose Love” – Ringo Starr

É o 14º álbum de estúdio de Ringo Starr , lançado em 2005.

Gravado entre 2004 e 2005, usando a mesma equipe que criou Vertical Man (1998) e Ringo Rama (2003), Ringo produziu o set com o parceiro musical de longa data Mark Hudson e o apresentou com sua equipe de estúdio. A faixa-título tem um riff de guitarra ” Day Tripper “, semelhante aos Beatles, com uma coda semelhante a ” The Word ” e menciona as músicas dos Beatles ” The Long and Winding Road “, ” Tomorrow Never Knows ” e ” What Goes On “. Como sempre, um álbum de Ringo estaria faltando se não incluísse alguns convidados de celebridades e o Choose Love não se desvie da fórmula;Chrissie Hynde como seus convidados mais notáveis.

Choose Love foi lançado em 07 de junho de 2005 nos EUA, e em 25 de julho no Reino Unido. Houve uma edição do álbum que era um disco duplo (CD ao lado, DVD no outro), com o componente de DVD apresentando recursos extras na criação do álbum.

Por Marina Sanches – @sancmarina

Fonte: S.S.

NOTICIAS BEATLES – PAUL McCARTNEY

Por que Paul McCartney foi o único dos Beatles a não gostar do disco Let It Be?

Os Beatles, no início dos anos 1969, haviam passado por grandes momentos de tensão. Desde os desentendimentos entre John Lennon e Paul McCartney até a ausência de Ringo Starr durante as sessões do The White Album.

Depois desses eventos, ninguém ficaria surpreso se George Harrison se distanciasse do grupo como fez em janeiro de 1969. Com isso, os ensaios e as filmagens do documentário Let It Be representavam um momento ruim para ele. 

Embora o icônico quarteto já tivesse uma última grande conquista, o Abbey Road, eles ainda buscarma lançar o material do Let It Be no ano seguinte. Com a banda na linha de chegada por volta de 1970, John, George e Ringo aprovaram que Phil Spector terminasse o álbum. Porém, Paul foi o único resistente.

Por isso, nos primeiros meses daquele ano, os Beatles se dividiram em dois lados: aqueles que aceitavam Allen Klein como o novo empresário da banda (John, George e Ringo) e quem não (Paul). Tendo isso em vista, obter um resultado em que todos ficassem felizes seria impossível.

Paralelamente, Paul trabalhava no primeiro álbum solo, os Beatles tentavam cuidar das outras burocracias e Spector tentava finalizar o Let It Be. “Paul foi o único que disse que não queria Phil Spector envolvido. Porém, particularmente eu achei uma ideia muito boa”, contou George em Anthology.

Nos registros de gravação havia muitas horas de matéria-prima e Spector teve que dar o melhor de si com “Across the Universe” e (para o desgosto de Paul) com “The Long and Winding Road”.

“Eu gosto do que o Phil fez, na verdade”, conta Ringo. “Ele colocou a música em outro lugar.”

Lennon também concordava com Ringo: “[Spector] sempre quis trabalhar com os Beatles, e ele recebeu as coisas mais mal gravadas com um sentimento péssimo na época, e ele fez algo com isso, foi realmente um ótimo trabalho”.

Durante as entrevistas para o projeto Anthology, nos anos 1990, Paul insistia o quanto não suportava Let It Be. “Ouvi a versão do Spector recentemente mais uma vez e parecia terrível”.

“Prefiro o som original que é exibido no Anthology 3”. Ao longo dos anos, isso não mudou. Após a virada do século, Paul teve engenheiros nos estúdios de Abbey Road escavando as fitas originais e dando outra cara para o álbum. Dessa vez, Paul (com a aprovação de George e Ringo) insistiu que as fitas saíssem como ele originalmente queria.

Em 2003, o Let It Be … Naked finalmente foi lançado. Enquanto a maioria dos críticos sentiu uma melhora em relação ao original, os fãs tiveram reações mistas. Alguns preferiram viver com as versões que cresceram ouvindo.

De qualquer forma, Paul pode ficar tranquilo ao saber que finalmente conseguiu o que queria.

Fonte: Rolling Stone – Via e-mail

Por Marina Sanches – @sancmarina

BEATLES DIA A DIA

25 de fevereiro de 1943

 

George Harrison nasce em Liverpool. Ele contaria a Billboard Magazine, em 1992, que havia descoberto recentemente que teria nascido na véspera, ou seja, ainda na madrugada do dia 24. Mas definitivamente, o dia 25/02 continuará sendo o “Dia George Harrison”.

Fonte: The Beatles Diary

Por Marina Sanches – @sancmarina

BEATLES DIA A DIA

25 de fevereiro de 1968

George celebra seus 25 anos na Índia. O Maharishi lhe dá um globo de plástico de presente. As músicas do “White Album” são quase todas compostas nesse período.

George+Harrison (1)BZaEM0UCAAAearZ.jpg largefotos raras Beatles por Ringo 2 George Harrison lavando as mãos. Segundo Ringo, um gesto simples de higiene aprendido por todos os Beatles quando garotos em Liverpool67_beatles_maharishi-mahesh_yogi_002-580x389

Fonte: The Beatles Diary.

Por Marina Sanches – @sancmarina

BEATLES DIA A DIA

25 de fevereiro de 1964

Os Beatles gravam “You Can’t Do That” (takes 1-9), “And I Love Her” (takes 1-2) e “I Should Have Known Better” (takes 1-3). George introduz no mundo da música a guitarra de 12 cordas. Walter Strach oferece uma festa de aniversário para George em sua casa. George, irritado com a invasão da imprensa, joga o bolo na direção dos repórteres e vai embora.

George+Harrison (1)BaLLiEKIcAAFeCsolympia10Bb8jO4CCAAAn6dX

Fonte: The Beatles Diary.

Por Marina Sanches – @sancmarina