Arquivo da tag: Curiosidades Paul

“CURIOSIDADES SOBRE PAUL McCARTNEY – 14”.

44 – Paul aparece no Guinness como “The Most Successful Composer and Recording Artist of All Time”. São 60 discos de ouro e mais de 100 milhões de álbuns e 100 milhões de singles vendidos.

46 – Composta em parceria com Linda e com o ex-produtor dos Beatles George Martin, “Live and let die”, além de ter sido indicada ao Oscar de Melhor Canção, deu a Martin o Grammy pelo arranjo da música.

47 – Paul foi interpretado no cinema e na TV pelos atores Thomas Brodie-Sangster (“Nowhere boy”), Gary Bakewell (“Backbeat”), Mickael Sébastien Vitanza (“I’m not there”), entre vários outros.

48 – Nem tudo que Paul fez deu certo. Em 1984, Paul McCartney escreveu, produziu e estrelou o filme “Give my regards to Broad Street”. As críticas foram péssimas e o público ignorou o filme. Mas a trilha sonora, com o guitarrista David Gilmour, do Pink Floyd, no hit “No more lonely nights”, foi elogiada.

Fonte: “THE BEATLES: THE BIOGRAPHY”, DE BOB SPITZ | “PAUL MCCARTNEY: MANY YEARS FROM NOW”, DE BARRY MILES | “FAB: AN INTIMATE LIFE OF PAUL MCCARTNEY”, DE HOWARD SOUNES | “THE COMPLETE BEATLES CHRONICLE:THE DEFINITIVE DAY-BY-DAY GUIDE TO THE BEATLES’ ENTIRE CAREER”, DE MARK LEWINSHON

Por Marina Sanches – @sancmarina

“CURIOSIDADES SOBRE PAUL McCARTNEY – 13”.

41 – Em 1991, a Royal Liverpool Philharmonic Society encomendou uma peça musical para marcar seu sesquicentenário. Em sua primeira incursão na música clássica, Paul escreveu a música “Liverpool Oratorio” com Carl Davis. Ele assinaria ainda “A leaf”, para piano solo, “Ecce Cor Meum” e “Standing stone”.

42 – O quinto trabalho de Paul McCartney em música clássica foi “Ocean’s Kingdom”, encomendada pela companhia de balé de Nova York. O balé fala sobre o conflito entre o inocente e puro mundo do oceano e o ameaçador reino da Terra.

43 – Paul exercita seu interesse por experimentações e música eletrônica no dueto Fireman, com Martin Glover, produtor e baixista do Killing Joke, mais conhecido como Youth. A banda tem três discos gravados, “Strawberries oceans ships forest” (1993), “Rushes” (1998) e “Electric arguments” (2008).

Fonte: “THE BEATLES: THE BIOGRAPHY”, DE BOB SPITZ | “PAUL MCCARTNEY: MANY YEARS FROM NOW”, DE BARRY MILES | “FAB: AN INTIMATE LIFE OF PAUL MCCARTNEY”, DE HOWARD SOUNES | “THE COMPLETE BEATLES CHRONICLE:THE DEFINITIVE DAY-BY-DAY GUIDE TO THE BEATLES’ ENTIRE CAREER”, DE MARK LEWINSHON

Por Marina Sanches – @sancmarina

“CURIOSIDADES SOBRE PAUL McCARTNEY – 12”.

38 – Em 1988, Paul lançou o disco “CHOBBa B CCPP”, exclusivamente na União Soviética. O álbum trazia apenas covers de clássicos do rock’n’roll, como “Kansas City”, “Twenty Flight Rock”, “That’s All Right Mama” e “Summertime”. Em 1991, o disco foi lançado internacionalmente.

39 – Entre 1989 e 1990 Paul fez sua primeira turnê mundial em 10 anos. Foi também a primeira sob o seu nome como artista solo e um retorno às canções dos Beatles.

40 – Em 1990 foi lançado o filme “From Rio to Liverpool”, que mostra a turnê de Paul pelo mundo, incluindo seu show no Maracanã, que teve o maior público pagante da história, com 184 mil pessoas no sábado (foram dois shows).

Fonte: “THE BEATLES: THE BIOGRAPHY”, DE BOB SPITZ | “PAUL MCCARTNEY: MANY YEARS FROM NOW”, DE BARRY MILES | “FAB: AN INTIMATE LIFE OF PAUL MCCARTNEY”, DE HOWARD SOUNES | “THE COMPLETE BEATLES CHRONICLE:THE DEFINITIVE DAY-BY-DAY GUIDE TO THE BEATLES’ ENTIRE CAREER”, DE MARK LEWINSHON

Por Marina Sanches – @sancmarina.

“CURIOSIDADES SOBRE PAUL McCARTNEY – 11”.

33 – O primeiro disco de platina com os Wings veio em 1974, com o grande sucesso de “Band on the run”.

BAND OF THE RUN

34 – Nas primeiras turnês com o Wings, Paul não tocava nenhuma música dos Beatles. Com o tempo, passou a inclui-las no show. Hoje toca até mesmo um medley que inclui trechos de “Give peace a chance”, de Lennon.

35 – Paul e Lennon voltaram a tocar juntos apenas uma vez após o fim dos Beatles. Em 1974, John estava produzindo um disco de Harry Nilsson e Paul McCartney apareceu no estúdio com sua esposa, Linda. O resultado foi lançado como o bootleg “A toot and a snore”, em 1992. A banda tinha John, Paul, Stevie Wonder e Linda.

John e Paul

36 – Em 1980, o Wings se reuniu para gravar novo disco, mas após a morte de Lennon, em 8 de dezembro, Paul não teve condições de continuar. Ele voltou a trabalhar no projeto em fevereiro, lançando o álbum “Tug of war” como projeto solo. O maior sucesso do disco é “Ebony and Ivory”, parceria com Steve Wonder.

Fonte: “THE BEATLES: THE BIOGRAPHY”, DE BOB SPITZ | “PAUL MCCARTNEY: MANY YEARS FROM NOW”, DE BARRY MILES | “FAB: AN INTIMATE LIFE OF PAUL MCCARTNEY”, DE HOWARD SOUNES | “THE COMPLETE BEATLES CHRONICLE:THE DEFINITIVE DAY-BY-DAY GUIDE TO THE BEATLES’ ENTIRE CAREER”, DE MARK LEWINSHON

Por Marina Sanches – @sancmarina.

“CURIOSIDADES SOBRE PAUL McCARTNEY – 10”.

30 – Ainda em 1971, Paul se juntou à esposa Linda e ao compositor Denny Laine, ex-vocalista do The Moody Blues, para montar a banda The Wings. O grupo ficou ativo de 1971 a 1980 e acumulou vários sucessos, como ‘My love”, “Jet” e “Band on the run”.

 

 

31 – Paul teve a ideia para o nome da banda enquanto rezava durante o nascimento de sua segunda filha, Stella. O parto foi complicado e Stella e Linda quase morreram. Enquanto rezava, a imagem de asas vieram à mente do músico, que resolveu batizar sua banda de Wings (asas, em inglês).

paul-1396

 

32 – Em fevereiro de 1972, o Wings gravou a música “Give Ireland back to the Irish”, em protesto contra o massacre do Domingo Sangrento. A música foi proibida no Reino Unido.

 

Fonte: “THE BEATLES: THE BIOGRAPHY”, DE BOB SPITZ | “PAUL MCCARTNEY: MANY YEARS FROM NOW”, DE BARRY MILES | “FAB: AN INTIMATE LIFE OF PAUL MCCARTNEY”, DE HOWARD SOUNES | “THE COMPLETE BEATLES CHRONICLE:THE DEFINITIVE DAY-BY-DAY GUIDE TO THE BEATLES’ ENTIRE CAREER”, DE MARK LEWINSHON

Por Marina Sanches – @sancmarina.

“CURIOSIDADES SOBRE PAUL McCARTNEY – 9”.

27 – John já havia deixado os Beatles em setembro de 1969, mas foi Paul quem fez o anúncio oficial do fim da banda, em 10 de abril de 1970. A notícia veio em formato de entrevista encartada em cópias do álbum “McCartney”, seu primeiro disco solo, que seria lançado uma semana depois.

28 – Em abril de 1970, Paul lançou seu primeiro álbum solo, “McCartney”, que vendeu mais de 10 milhões de cópias em todo o mundo. O disco, em que Paul gravou todos os instrumentos, traz o grande sucesso “Maybe I’m amazed”.

 

29 – Quando Paul lançou seu segundo álbum solo, “Ram”, seus ex-colegas dos Beatles acharam que várias músicas faziam referências depreciativas a eles. Paul garante que apenas dois trechos falam de John: “Em uma canção eu escrevi ‘too many people preaching practices’. Acho que esse é o verso. Ali havia alguma implicância com John e Yoko. Não havia nada mais no (Ram) sobre eles. Ah, tem ‘you took your lucky break and broke it in two'”. No álbum “Imagine”, de 1971, John devolveria a pancada com a música “How do you sleep?”.

 

Fonte: “THE BEATLES: THE BIOGRAPHY”, DE BOB SPITZ | “PAUL MCCARTNEY: MANY YEARS FROM NOW”, DE BARRY MILES | “FAB: AN INTIMATE LIFE OF PAUL MCCARTNEY”, DE HOWARD SOUNES | “THE COMPLETE BEATLES CHRONICLE:THE DEFINITIVE DAY-BY-DAY GUIDE TO THE BEATLES’ ENTIRE CAREER”, DE MARK LEWINSHON

Por Marina Sanches – @sancmarina.

 

 

“CURIOSIDADES PAUL McCARTNEY – 8”.

24 – Em outubro de 1969, surgiram rumores de que Paul havia morrido num acidente de carro. Mas em novembro a revista Life fez uma capa com ele e a família comprovando que o boato era falso. Mas nem todos acreditaram…

paul-229

De fato, Paul sofreu um acidente de moto que lhe valeu um corte no lábio superior e um dente quebrado.

25 – Em 1969 os Beatles precisaram contratar um administrador para a Apple, selo fonográfico do grupo, para evitar que a empresa fosse à falência. John sugeriu Allen Klein, mas Mick Jagger alertou Paul quanto a problemas que os Rolling Stones tiveram com o empresário. Paul se recusou a assinar contrato com Klein.

26 – Apesar do clima religioso, “Let it be” foi inspirada na mãe de Paul, que também se chamava Mary, como a mãe de Jesus de Nazaré. Paul perdeu a mãe cedo, aos 14 anos, um dos pontos que o aproximaram de John na adolescência. Uma noite, em 1970, ele sonhou com a mãe enviando uma mensagem de sabedoria, “let it be”.

Fonte: “THE BEATLES: THE BIOGRAPHY”, DE BOB SPITZ | “PAUL MCCARTNEY: MANY YEARS FROM NOW”, DE BARRY MILES | “FAB: AN INTIMATE LIFE OF PAUL MCCARTNEY”, DE HOWARD SOUNES | “THE COMPLETE BEATLES CHRONICLE:THE DEFINITIVE DAY-BY-DAY GUIDE TO THE BEATLES’ ENTIRE CAREER”, DE MARK LEWINSHON

Por Marina Sanches – @sancmarina