Arquivo da tag: meet the beatles

NOTICIAS BEATLES – JOHN LENNON.

Entrevista com Lennon revela que gravar último álbum dos Beatles foi ‘inferno’

proxy (37)John+Lennon+latejohn7

 Gravar o 12º e último álbum dos “Beatles” foi um ‘inferno’, revelou John Lennon em entrevista gravada que será leiloada este mês.

Os quatro acabavam de completar “Let It Be”, em 1969, mas ainda não haviam rompido, quando Lennon e sua mulher Yoko Ono se sentaram em Toronto com o crítico musical da revista “Village Voice” e DJ de rádio Howard Smith. A entrevista durou cerca de uma hora.

“Estamos atravessando o inferno. Frequentemente fazemos isso. É uma tortura toda vez que produzimos algo”, revelou Lennon.

“Os Beatles não têm nenhuma magia que você não tenha. Sofremos um inferno toda vez que fazemos algo e temos de lutar com cada um de nós. Imagine trabalhar com os Beatles, é duro”, desabafou.

“Há apenas tensão. É tenso cada vez que a luz vermelha (no estúdio de gravação) se acende”, completou.

Publicado em maio de 1970 e classificado pela revista “Rolling Stone” como um dos 500 melhores álbuns de todos os tempos, “Let it Be” foi basicamente gravado em Londres, em 1969, para complementar um filme de mesmo nome.

A canção que lhe dá título e “The Long and Winding Road” entraram para a história como duas das mais memoráveis canções da banda britânica.

Para Lennon, porém, assassinado em Nova York em 1980, “Let it Be” foi um “álbum estranho” que refletiu como os atritos haviam crescido entre ele e seus companheiros de grupo – Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr.

“Nunca terminamos o álbum, realmente. Não queríamos fazê-lo. Era Paul que nos empurrava para fazê-lo”, afirmou.

A casa de leilões RR Auction anunciou que a entrevista de uma hora de duração, gravada em duas fitas, permaneceu esquecida por quase quatro décadas em uma caixa guardada nos fundos do apartamento de Smith, em Nova York.

“É uma entrevista sincera e honesta de um dos músicos e ativistas mais reverenciados de todos os tempos”, disse o vice-presidente de RR Auction, Bobby Livingston, nesta quinta-feira.

A gravação está incluída em uma lista de mais de 100 objetos relacionados aos Beatles, que faz parte de um leilão de “Maravilhas da Música Moderna”. A lista estará disponível on-line entre 19 e 26 de setembro no website http://www.rrauction.com.

Um trecho da entrevista pode ser ouvido no endereço:

 

 

 

Fonte: TERRA.

A PRIMEIRA APRESENTAÇÃO DOS BEATLES NA TV AMERICANA.

A PRIMEIRA APRESENTAÇÃO DOS BEATLES NA TV AMERICANA.

9 de janeiro de 2013 · por Beatlepedia · em Beatles. ·

Os Beatles já eram um sucesso na Grã-Bretanha quando, em novembro de 1963 – duas semanas antes do lançamento de With The Beatles -, Brian Epstein foi a Nova York. Como os Beatles vinham sendo lançados nos EUA por um selo independente e fracassando, Brian tinha a missão de persuadir a Capitol Records a apoiar os Beatles com peso corporativo e o apresentador de televisão Ed Sullivan a trazer a banda ao seu programa de variedades. Graças à ajuda de milhares de fãs frenéticos dos Beatles, Epstein falara com Sullivan uma semana antes quando, por acaso, estava de passagem pelo Aeroporto de Heathrow no dia em que os Beatles voltavam de uma série de shows na Suécia. O local estava uma loucura, com gritos e fãs apaixonadas. Ed Sullivan ficou impressionado e convidou Epstein a procurá-lo em Nova York. Uma semana depois, lá estava Brian, pronto para conversar com Sullivan. Ele não falou em dinheiro, mas insistiu que os Beatles fosse a atração principal – que garantia que a banda seria incluída nas chamadas do programa. Brian saiu dos EUA com um contrato para três participações – duas ao vivo e uma gravada – em domingos consecutivos em fevereiro de 1964 e um chachê que consistia em passagens aéreas e 4 mil dólares.

2-with-the-beatles-1963

 

A primeira percepção dos Beatles nos EUA viria na semana de férias entre o Natal e o Ano-Novo, quando as estações de rádio do país inteiro começaram a tocar “I Want to Hold Your Hand”. Depois do dia 1° de janeiro, enquanto os estudantes retornavam do feriado natalino, o som da música no rádio era acompanhado pela chegada do disco às lojas, e a novidade musical começavava a se espalhar pelas escolas dos Estados Unidos. A Capitol lançou às pressas o LP Meet The Beatles, vendendo mais de meio milhão na primeira semana

64_beatles_006_george-v-paris

Os Beatles em Paris, antes de irem aos EUA.

O telegrama com a notícia de que “I Want to Hold Your Hand” chegara ao primeiro lugar nos EUA chegou aos Beatles na terceira semana de janeiro, em um hotel em Paris. Logo um grupo de jornalistas americanos fora enviado para obter citações, fotos e material para os artigos que estavam sendo preparados para a chegada da banda, que se daria em breve. A Capitol Records havia colocado 5 milhões de pôsteres onde se lia “The Beatles are coming” por todo o país e certa de cinco mil pessoas fizeram o pedido para os setecentos ingressos do Ed Sullivan Show

beattles-on-ed-sullivan-show-poster_thumb3_thumb

 

Quando os Beatles chegaram ao Aeroporto de Heathrow para pegar o avião rumo aos EUA, eles não sabiam de nada disso. Sabiam, apenas, que os discos haviam ido bem. Heathrow estava explodindo com tantas fãs gritando e soluçando, segurando faixas que diziam “We love you Beatles“. Policiais formavam correntes, com os braços dados, tentando conter  a multidão. Depois de uma entrevista coletiva, eles foram levados até o avião. No topo da escada, eles acenavam para as varandas lotadas do aeroporto ao som de gritos cada vez mais alto. Estavam no avião, além dos Beatles, Brian Epstein, Cynthia Lennon, Neil Aspinall e Mal Evans. Haviam também alguns jornalistas e fotógrafos, incluindo uma equipe do Liverpool Echo. O avião parecia uma festa: havia muito champagne, e todos ficavam mais eufóricos à medida que se aproximavam dos Estados Unidos. Eles estavam claramente com medo de ser apenas mais um grupo inglês sem sucesso nos EUA, mas qualquer idéia de esquecimento foi rapidamente abortada enquanto eles olhavam pelasjanelas do avião no momento em que ele taxiava para parar. Eles trocavam olhares eufóricos e assustados. John gritava “Ah, meu Deus, olhem só aquilo!”. Mais de 10 mil adolescentes esperavam pela banda cantando “Nós amamos vocês, Beatles, amamos mesmo!”.

bscan03

 

Quando a porta do avião foi aberta, os gritos era ensurdecedores. Eles conquistaram os americanos antes mesmo de aparecerem em público. Quando desceram do avião, foram rapidamente levados para um salão em que alguns jornalistas e equipes de televisão esperavam para realizar uma estrevista coletiva. Era a maior que já haviam feito, e John teve que gritar para que houvesse um pouco de silêncio. As perguntas era curtas e rápidas, seguidas sempre de um comentário espirituoso.

– Qual é a maior ambição de vocês?
– Vir para a América.
– Vocês esperam levar alguma coisa daqui?
– O Rockefeller Center.

Depois da coletiva, foram escoltados até os luxuosos Cadillacs que estavam esperando para levá-los até o Hotel Plaza. Enquanto olhavam pela janela encantados com a cidade que viam, as rádios eram interrompidas por boletins constantes que anunciavam a chegada dos Beatles. Todas as ruas em torno do hotel estavamborbulhando de loucura. As milhares de garotas gritavam sem parar com suas perucas dos Beatles, faixas, fotos e camisetas. Os policias estavam exaustos, se esforçavam tanto para que ninguém rompesse a barreira, que seus rostos estavam vermelhos. Quando chegaram no hotel, foram levados até uma suíte espetacular. Quando olhavam pelas janelas, viam as multidões que vinham de todas as direções. A chance de fazerem turismo estava descartada. Guardas e funcionários do hotel ficavam ao lado da porta da suíte dia e noite, enquanto outros guardas ficavam na parte de baixo do hotel, preparados para capturar as fãs que conseguiam romper a barreira policial. O telefone tocava com uma frequência assustadora, e telegramas chegavam o tempo inteiro – entre eles, um de Elvis. Eles só conseguiam sair pela porta dos fundos e tinham que correr direto para a limousine e abrir caminho vagarosamente entre a multidão.

0079

 

Os Beatles tocaram no Ed Sullivan Show dois dias depois de terem chegado aos EUA. George Harrison estava tão gripado e se sentindo tão mal que teve de ser dopado com remédios para conseguir se apresentar. Todos os medos e inseguranças que tinham fora destruído no momento em que Paul foi até o microfone e cantou “Close your eyes and I’ll kiss you”. Segundo alguns institutos de estatísticas, foi a maior audiência registrada por um programa na televisão americana. 74 milhões de americanos sintonizaram no Ed Sullivan Show no dia 9 de fevereiro de 1964, numa tarde de domingo, e foram, definitivamente, apresentados aos Beatles. Enquanto eles, depois de todo o medo de fracassar nos EUA, olhavam encantados para os rostos em êxtase na platéia e entendiam que estavam começando a conquistar o mundo.

 

 

FONTES: Beatlepedia